Mães se reúnem na praça do Horto para “mamaço” coletivo

Da Redação - Agência Belém de Notícias - 06/08/2017 13:36

  • / Muito amor / 06/08/2017 13:36

    Suellen Lavareda levou a filha Maria Emília, de 7 meses, para o "mamaço" coletivo neste domingo, 6, na praça do Horto.

  • / Muito amor / 06/08/2017 13:36

    O médico Roberto Macedo é gerente da UMS Benguí, que mantém um projeto pioneiro: uma sala de coleta de leite humano e duas salas de amamentação.

  • / Muito amor / 06/08/2017 13:36

    Everaldo e Iassodara Trindade levaram a filha Sofia, de 1 ano e 2 meses, para o "mamaço".

  • / Muito amor / 06/08/2017 13:36

    Mães foram convidadas a participar da "dança materna" durante a apresentação do Arraial do Pavulagem.

  • / Muito amor / 06/08/2017 13:36

    O grupo Arraial do Pavulagem animou a manhã na praça do Horto, durante o "mamaço" coletivo.

  • / Muito amor / 06/08/2017 13:36

    Praça do Horto Municipal ficou lotada, neste domingo, 6, durante o "mamaço" coletivo.

  • / Muito amor / 06/08/2017 13:36

    Iniciativa deste domingo é parte da 25ª Semana Mundial do Aleitamento Materno e lembra a importância da amamentação com a união de mães na “hora do mamaço”

  • / Muito amor / 06/08/2017 13:36

    A ação deste domingo ainda reuniu mães em uma roda de conversa sobre amamentação para compartilhamento de informações e experiências visando à ampliação das redes de apoio.

  • / Muito amor / 06/08/2017 13:36

    A presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Luciana Silva, explicou que o "mamaço" estimula não só a mãe, mas também a sociedade de modo geral a apoiar a amamentação.

  • / Muito amor / 06/08/2017 13:36

    Durante o "mamaço" na praça do Horto, houve exposição de imagens de mães amamentando.

  • / Muito amor / 06/08/2017 13:36

    Imagens expostas mostram momentos de ternura durante a amamentação.


Amamentar é um gesto de amor e ato de cuidado e proteção. É por meio do leite materno que a criança adquire nutrientes necessários para uma vida mais saudável. E para disseminar cada vez mais a importância da amamentação, mais de 100 mães se reuniram na manhã deste domingo, 6, na praça do Horto Municipal, para um “mamaço” coletivo.

A iniciativa é parte da 25ª Semana Mundial do Aleitamento Materno (SMAM) e lembra a importância da amamentação com a união de mães promovendo a “hora do mamaço”. A ação deste domingo representou ainda uma oportunidade de reunir mães em uma roda de conversa sobre amamentação, para compartilhamento de informações e experiências visando à ampliação das redes de apoio.

De acordo com a presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Luciana Silva, essa é mais uma forma de reafirmar para a sociedade sobre a importância de a criança ter o alimento natural. “Por meio desse projeto nós estimulamos não só a mãe, mas também a sociedade de modo geral a apoiar a amamentação. O gesto é significativo e deve ocorrer em qualquer espaço e a qualquer hora. É natural e não existe nenhum outro alimento que possa substituir o leite materno nos seis primeiros meses de vida”, declarou.

O pai de Sofia, de 1 ano e 2 meses, vê a importância deste momento tanto para a filha, quanto para a mãe. “A amamentação é muito importante para o desenvolvimento infantil, e a minha esposa sempre se preocupou em garantir isso para a nossa filha. Ela sempre quis e, graças a Deus, segue fazendo isso até hoje”, contou Everaldo Trindade.

“No início foi bem difícil, mas nós tentamos, persistimos e conseguimos. Hoje a Sofia se alimenta de tudo, mas o leite permanece. É ele que tem me ajudado nesse trabalho (de melhoria) da imunidade dela. Quando um dentinho surge e ela não quer se alimentar o leite está aqui, à disposição”, disse Iassodara Trindade.

Na rede municipal, o aleitamento materno é incentivado desde o pré-natal por meio dos serviços de nutrição e enfermagem, que orientam as grávidas nas unidades municipais de saúde. Após o nascimento, os bebês são assistidos pelo Programa de Aleitamento Materno Exclusivo (Proame), que é conduzido por enfermeiros, técnicos de enfermagem, nutricionistas e médicos, que ensinam a melhor posição para o aleitamento e orientam sobre o consumo exclusivo do leite materno até a criança completar seis meses de vida.

Belém conta ainda com uma sala de coleta de leite humano na Unidade Municipal de Saúde (UMS) do Benguí II, que desde a implantação, em 2015, já coletou mais de 13 litros de leite humano, e duas salas de amamentação: uma também na UMS Benguí e outra na UMS Providência. No posto de coleta, as mulheres podem ordenhar e deixar o leite para doação. Podem ainda entregar o pote já com o leite para armazenamento até a coleta, que é feita por agentes do projeto “Bombeiros Pela Vida”, do Corpo de Bombeiros Militar do Pará, para a Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará.

O médico Roberto Macedo, gerente da UMS Benguí enfatizou o trabalho realizado pelo município, pioneiro na coleta de leite. “Esse é um trabalho social maravilhoso e as mães que doam merecem todo respeito. E a mãezinha que quiser doar pode ir até nossa unidade de segunda a sexta-feira, das 7h às 13h. para fazer a coleta. E também damos orientações àquelas mães que querem continuar com o processo em sua própria residência”.

As salas de amamentação estão abertas diariamente para que qualquer mulher tenha um espaço confortável, com boa iluminação e refrigeração para amamentar seu bebê.

Entretenimento - A manhã deste domingo, além de muita amamentação, teve ainda diversão para a família toda, com a apresentação do grupo musical Arraial do Pavulagem, que convidou as mamães para a “dança materna”.

A pequena Maria Emília, de 7 meses, parecia não se incomodar com a quantidade de pessoas que se juntava na praça, com o passar das horas. Ela seguia lá, tranquila e mamando. “Esse é o nosso momento. É quando ela para, se concentra no leite e eu transmito amor para minha filha. Amamentar é gratificante. Estar aqui hoje é maravilhoso, é uma verdadeira troca de experiências”, avaliou a mãe, Suellen Lavareda.

Texto: Karla Pereira
Foto: Tássia Barros - Comus
Coordenadoria de Comunicação Social (COMUS)