Leilão para pagamento de IPTU será dia 23


Leilão para pagamento de IPTU será dia 23

Um novo leilão judicial de

bens imóveis será realizado no

próximo dia 23 de outubro, às

9h30, pelo Tribunal de Justiça

do Estado (TJPA). Isso porque

a edição do leilão ocorrida na

última terça-feira (9) não teve

nenhum imóvel arrematado.

A iniciativa pretendia cumprir

o pagamento de débitos fiscais

decorrentes de processos de

cobrança de Imposto Predial

Territorial Urbano (IPTU), ajuizados

pela Prefeitura de Belém

na 2ª Vara de Execução Fiscal

da capital, nos quais a parte

deixou de efetuar o pagamento

ou o parcelamento de seus

débitos. O leilão vai acontecer

no Fórum Cível de Belém, localizado

na Praça Dom Pedro II,

na Cidade Velha.

Segundo o responsável pelo

leilão a cargo do Tribunal de

Justiça do Pará (TJPA), Adriano

Seduvim, juiz titular da 2ª Vara

de Execução Fiscal, o valor dos

imóveis acaba ficando mais barato

para arrematar no segundo

leilão. Ele também contou

que a maioria dos interessados

já foi estudar com detalhes os

imóveis. Antes da data de alienação do imóvel, as partes

executadas puderam negociar

junto à Prefeitura

de Belém a regularização

das condições do imóvel e

impedir sua perda. Editais

e cartas de intimação aos

interessados foram publicados

no Diário da Justiça

Eletrônico, na edição 6508,

do dia 18 de setembro. Inicialmente,

seriam leiloados

65 imóveis, avaliados entre

R$ 27 e 620 mil, porém, somente

um total de 27 imóveis,

localizados em Belém

e nos distritos de Icoaraci,

Mosqueiro e Outeiro, foram

a leilão, pois as partes intimadas

conseguiram quitar

ou parcelar as suas dívidas

com a Prefeitura.

“O que é relevante destacar

é que só pelo fato

de ter sido designada a

realização do leilão houve

muita procura das partes

devedoras para negociar

junto à Prefeitura os seus

débitos. Pouco mais de 50%

das pessoas que tinham os

seus imóveis indo para leilão

conseguiram quitar ou

negociar os seus débitos.

É um número expressivo.

Também houve um aumento

significativo de pessoas

que não tinham imóveis

sendo leiloados, mas que

procuraram a Prefeitura

para negociar seus débitos.

Todos ganham com

isso. A pessoa regulariza

o seu imóvel, o município

consegue arrecadar e, por

último, a quantidade de

processos no Judiciário

também diminui”, destacou

o magistrado.

Mais informações sobre

o próximo leilão no site

www.norteleiloes.com.br.