Acordo garante ônibus para a ilha


Acordo garante ônibus para a ilha

Os ônibus da empresa

Transcap, que opera as

linhas Santa Bárbara-São

Brás e Mosqueiro-São Brás,

circularão normalmente a

partir de hoje, após paralisação dos rodoviários no

dia de ontem, que resultou

na interdição da pista da

rodovia PA-391, a “Estrada

de Mosqueiro”.

Em nota, a Prefeitura de

Belém informou, ontem

à noite, que “a empresa

Transcap anunciou, na noite

desta quinta-feira, 11, o fim

da paralisação que atingia

a linha urbana Belém-Mosqueiro desde as primeiras

horas da manhã. Sendo

assim, a empresa garante

o retorno das viagens já na

madrugada desta sextafeira, 12, com a primeira

viagem saindo às 4h30 de

Mosqueiro, partindo da

Baía do Sol e Sucurijuquara,

rumo a São Brás”

Alegando não receber salários há dois meses, 200

rodoviários da Transcapinterditaram, ontem à tarde,

a rodovia PA-391, a “Estrada

de Mosqueiro”. O bloqueio

foi das 15h às 17h.

A liberação da via foi negociada pelo Batalhão de

Polícia Rodoviária da PM.

A Transcap tem uma frota

de 40 veículos, informam

os rodoviários. São 28 para

Mosqueiro e 12 para Santa

Bárbara. Desde a manhã de

ontem, a Superintendência

Executiva de Mobilidade

Urbana de Belém (Semob)

buscou outras empresas

para operar a linha de

Mosqueiro. Aos 25 mil passageiros de Santa Bárbara,

sobraram vans e outros

ônibus de Mosqueiro.

Segundo os trabalhadores,

os veículos estão em péssimas condições de conservação e manutenção. Por

isso, sempre há desfalques

no atendimento por panes

mecânicas.

“A empresa não era assim. As coisas têm sido

estranhas há seis meses.

Chegamos a fazer outra

paralisação, há dois meses.

Vinte trabalhadores foram

demitidos e já estão justiça

contra isso. E nesses últimos dois meses desandou

de vez e não teve mais salário. INSS e FGTS estão sendo descontados, mas não

são repassados. A população está saturada desses

ônibus quebrados. Nós, que

ouvimos as reclamações,

também estamos”, comenta um dos rodoviários, que

preferiu não se identificar

por medo de represálias.

Pela manhã, longas filas se

formaram em São Brás, na

praça onde se concentram

os ônibus que vão para

Mosqueiro. Por conta da

paralisação, os usuários

ficaram várias horas sem

transporte.

Em nota, a prefeitura informou que “mantém plano

emergencial para cobrir a

paralisação da linha que

opera o trajeto Belém-Mosqueiro” e que a Semob “colocou em operação 12 ônibus

extra de diversas empresas

que, ao longo do dia, conseguiram atender a demanda

que havia ficado desassistida pela paralisação”.